domingo, 26 de outubro de 2008

terça-feira, 21 de outubro de 2008

EDUCAÇÃO INFANTIL

A Formação do Caráter cristão na Educação infantil.
Prof. Joany Bentes



Como educadores cristão, não podemos de forma alguma descurar da responsabilidade em preparar nossas crianças a viverem num mundo globalizado, cuja ênfase é a busca por mais conhecimento. Nossa missão, apesar de difícil, tem de ser integralmente cumprida, a fim de que nossos filhos destaquem-se como testemunhas de nosso Senhor Jesus.
Para chegarem à estatura de “varão perfeito” Ef 4:13, os pequenos dependem da orientação correta, embasada na Bíblia Sagrada, pois é na infância que se dá a formação do caráter.

Então surge a pergunta: O que é caráter?

Existem centenas de definições para caráter, mas após muitas pesquisas podemos concluir que caráter é a capacidade de ação e reação mediante fatos sejam estes bons ou maus. São traços da natureza humana que podem ser alterados e que se constituem a partir das relações familiares, ambientais, pedagógicas e sociais.
É imprescindível que pais e professores da EBD estejam cientes de seus papeis como educadores e influenciadores do caráter de seus filhos, para isso Salomão aconselha: “Instrui o menino no caminho em que deve andar, e, quando envelhecer não se desviara dele” (Pv.22.6).

Qualidades que contribuem para formação do caráter:

Humildade - "Mas aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens. E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte e morte de cruz". Filipenses 2:7;8
Mansidão – “Que a ninguém infamem, nem sejam contenciosos, mas modestos, mostrando toda a mansidão para com todos os homens”. Tito 3:2
Longanimidade – “O Senhor é longânimo e grande em misericórdia, que perdoa a iniqüidade e a transgressão, ainda que não inocenta o culpado, e visita a iniqüidade dos pais nos filhos até à terceira e quarta gerações”. Números 14.18.
Pode-se citar também os frutos do espírito, que se observados contribuíram na formação do caráter da criança.
Foi assim com o menino Jesus, ele “...crescia em sabedoria estatura e graça diante de Deus e dos homens” (Lc. 2 . 52)
Desde o primeiro momento da vida o ser humano começa a aprender. Quando a criança é pequena (dois a três anos) ela aprende a escolher entre o que é bom e que não é. Nessa idade se desenvolve a parte moral do caráter. Também aprende auto-controle, auto-segurança e desenvolve a coragem.
Atenção dobrada as crianças de 0 a 6 anos, período em que incide a educação infantil, o desenvolvimento emocional, cognitivo e o crescimento sensório-motor da criança estão em ampliação e os infantes carecem de uma atenção maior na sua orientação educativa.
É importante que professor e aluno tenham um bom relacionamento e para isso o professor precisa ter uma postura que compreenda.

a) Saber ouvir os membros do grupo;

b) Facilitar a integração do grupo;

c) Não ser intransigente ou repressor;

d) Estabelecer limites para o grupo;

e) Não marginalizar ou rejeitar alguém do grupo;

f) Agir de acordo com suas palavras;

g) Não usar o grupo para seus interesses pessoais;

h) Evitar descarregar os seus problemas no grupo;

i) Ser sincero com o grupo.

A eficácia do aprendizado depende do professor que deve conservar em mente as qualidades indispensáveis a um bom professor, sem as quais nem métodos criativos, recursos pedagógicos ou didáticos terão qualquer efeito, são eles:

a) Ter Cristo como salvador: e senhor da sua vida;

b) Ter liderança;

c) Ter amor e interesse pelas crianças;

d) Ser organizado;

e) Cuidar de sua aparência pessoal;

f) Praticar o que ensina;

g) Pensar nos mínimos detalhes;

h) Não desanimar diante de opiniões de pessoas que fazem oposição ao seu trabalho.

Importante:
O professor da EBD tem que tomar uma postura ,frente as investidas do mundo através das mídias de comunicação,pois as nossas crianças são invadidas e violentadas diariamente com pornografia audiovisual, além de outros conteúdos que deturpam os valores morais que alicerçam a fé cristã.

A formação do caráter cristão vai além das limitações humanas, está ligada à ação do Espírito Santo na vida das crianças, fato que só será possível se a criança for estimulada a confiar em Deus.


A fé das crianças e a Escola Bíblica Dominical


O professor da EBD, que trabalha com os pequenos, precisa estar ciente do seu compromisso e deve ter como objetivo principal “a fé das crianças” LEFEVER, M. (2003).

As crianças precisam aprender a falar com Deus, amar ao próximo, amar a Deus, e obedecer a sua palavra. Tais ensinamentos devem ser transmitidos na EBD.

LEFEVER observa o desenvolvimento da fé das crianças por fases:


A FÉ DO BEBÊ

Conceito-chave: Confiança

Relacionamentos significantes: Mãe e Pai.

Para uma criança desta faixa etária, somos as mãos e o rosto de Jesus.

II – A FÉ DAS CRIANÇAS DE 1 A 3 ANOS

Conceito-chave: Autonomia

Relacionamentos significantes: Pais e professores da Escola Dominical.

Tais crianças:

• Aprendem através de encenações de histórias bíblicas.

• São capazes de aprender que Deus criou todas as coisas.

• Compreendem que a Bíblia é um livro maravilhoso, cheio de histórias especiais; é o Livro de Deus.

• Aprendem sobre Jesus enquanto se movimentam. Aprendizes tátil-cinestésicos.

• Aprendem a orar.

III – A FÉ DAS CRIANÇAS DE 3 E 4 ANOS


Conceito-chave: Amor e Iniciativa

Relacionamentos significantes: Professores da Escola Dominical, pastor, família

Tais crianças:

• Gostam de frequentar “a própria igreja” (Escola Dominical).

• Aprendem a orar.

• Gostam de recontar histórias sobre Jesus.

• Aprendem a fazer mímicas de histórias bíblicas e de atitudes de Jesus.

• Interessam-se por Deus.

• Confundem Jesus e Deus.

• Desenvolvem uma consciência sensível.

• Perguntam sobre Jesus mais para interagirem com os professores do que para ouvirem respostas.

• Desenvolvem conhecimentos bíblicos.

• Permanecem apredendo a respeito de Jesus enquanto se movimentam.

• Desenvolvem bons hábitos da vida cristã.

• Aceitam Jesus como Salvador pessoal.


IV – A FÉ DAS CRIANÇAS DE 5 E 6 ANOS


Conceito-chave: Amor e Diligência

Relacionamentos significantes: Vizinhança, escola e igreja.

Tais crianças:

• Podem compreender o conceito de Deus como Criador.

• Costumam fazer perguntas.

• Temem a Deus porque Ele vê tudo que fazem.

• Desenvolvem o conceito de Deus e Jesus como pessoas reais.


• Identificam os personagens da Bíblia como reais.

• Consideram a oração importante.

• Orgulham-se da capacidade de ler em sua própria Bíblia.

• Começam a compreender a “Adoração”.

• Podem envolver-se em projetos simples, como “ajudar”.

• 40% passam da aprendizagem bíblica tátil-cinestésica para a leitura visual (palavras e imagens).


V – A FÉ DAS CRIANÇAS DE 7 E 8 ANOS

Conceito-chave: Aprender a amar.
Tais crianças:

• Estão esclarecidas quantos aos conceitos de certo e errado.

• Desejam ser boas.

• Começam a perceber a influência da consciência e os erros dos outros.

• São capazes de sentir vergonha, podem admitir seus erros, mas frequentemente transferem a culpa de seus erros para “outros”.

• Têm seu interesse por Deus aumentado gradativamente.

• Estão amadurecendo os conceitos acerca da morte e da ressurreição de Jesus.

• São capazes de estudar a Bíblia sozinhos.

• Usam de modo coerente o conteúdo das Escrituras e o que ouvem na Igreja.

• Já possuem um desenvolvimento significativo na área do pensamente simbólico.

• Estão ampliando sua visão de mundo.


VI – A FÉ DAS CRIANÇAS DE 9 A 11 ANOS

Conceito-chave: Justiça
Relacionamentos significantes: Grupos de mesmo nível, igreja e modelos de lideranças seculares.


Tais crianças:

• Correspondem ao ensino sobre o caráter de Deus.

• Aprendem mais facilmente a respeito da vida cristã por intermédio de projetos do que por exposição.

• Começam a constatar que devem seguir suas próprias convicções acerca de Jesus.

• Propõe perguntas mais difíceis do que as dos adultos.

• São capazes de compreender o plano da salvação.

• Compreendem o propósito da oração.

• Desenham heróis da Bíblia e da igreja local.

• Possuem uma necessidade de pertencer ao grupo.

• Personalizam sua sexualidade a partir de uma perspectiva cristã.

• Adquirem uma compreensão básica da ética bíblica.

• São capazes de julgar suas póprias ações à luz das atitudes de Jesus.

• Frequentemente fazem confusão entre o certo e o errado.



VII – A FÉ DOS ADOLESCENTES

Conceito-chave: Fidelidade
A maioria das pessoas que consolida sua fé até os 12 anos permanece fiel pelo resto de sua vida.

Conclusão

É inegável que a criança que tem uma fé alicerçada em Cristo terá seu caráter formado dentro dos padrões espirituais e nesse sentido a EBD é em todos os aspectos um centro de influência positiva.
O professor da EBD deve buscar em Deus e na sua palavra a sabedoria necessária para conduzir os pequenos ao principal objetivo da vida cristã, “o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo” Efésios 4:12,13.


REFERÊNCIAS

BÍBLIA SAGRADA. Tradução de João Ferreira de Almeida. Versão corrigida.

LEFEVER,M.Métodos Criativos de ensino: como ser um professor eficaz.Rio de Janeiro:CPAD,2003

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

HOMENAGEM AOS PROFESSORES





♥♥♥
"Não existe alguém
que nunca teve um professor na vida,
assim como não há ninguém
que nunca tenha tido um aluno.

Se existem analfabetos,
provavelmente não é por vontade dos professores.
Se existem letrados,
é porque um dia tiveram seus professores.
Se existe um prêmio Nobel,
é porque alunos superaram seus professores.
Se existem grandes sábios,
é porque transcederam suas funções de professores.

Quanto mais se aprende, mais se quer ensinar.
Quanto mais se ensina, mais se quer aprender."
Içami Tiba



Neste dia especial, quero desejar tudo de bom.
Que Deus te abençoe com saúde, paz e amor!!!
Feliz dia do mestre!!!

ALGUMAS FOTOS DA FESTA DAS CRIANÇAS- 11/10/08





sábado, 4 de outubro de 2008

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

NOSSA MARAVILHOSA MISSÃO

Ser professor é...
.....professar a fé e a certeza de que tudo terá valido a pena se o aluno sentir-se feliz pelo que aprendeu com você e pelo que ele lhe ensinou... Ser professor é consumir horas e horas pensando em cada detalhe daquela aula que, mesmo ocorrendo sempre, a cada dia é única e original... Ser professor é entrar cansado numa sala de aula e, diante da reação da turma, transformar o cansaço numa aventura maravilhosa de ensinar e aprender... Ser professor é importar-se com o outro numa dimensão de quem cultiva uma planta muito rara que necessita de atenção, amor e cuidado. Ser professor é ter a capacidade de "sair de cena, sem sair do espetáculo". Ser professor é apontar caminhos, mas deixar que o aluno caminhe com seus próprios pés...Ser professor é a mais linda missão que Deus poderia confiar a nós.Força professor(a),Deus é contigo!!

quinta-feira, 2 de outubro de 2008